Açúcar, seus tipos e derivados.

Açúcar, o ingrediente que representa a confeitaria. Suas principais ações nas preparações é conferir sabor e umidade, mas também compor a estrutura, por isso é muito importante que seja utilizado na quantidade correta, nem para mais nem para menos.

Açúcar refinado: Mais fino que o granulado, dissolve com rapidez e é utilizado em cozinhados, recomendado para misturas cremosas, massas batidas e merengues. No processo de refinamento, há adição de aditivos químicos como o enxofre que tornam o produto branco e tiram o acentuado sabor de cana.  Porém esse processo retira vitaminas e sais minerais, deixando apenas as calorias vazias, sem absolutamente nenhum nutriente.

Açúcar granulado/Cristal: De coloração branca, possui cristais grandes e transparentes, difíceis de serem dissolvidos em água. Depois do cozimento, ele passa apenas por um refinamento leve, mas que mesmo assim retira 90% dos seus sais minerais. Por ser econômico e render bastante é usado em grande escala. Está sempre presente nas receitas de bolos e doces. Usado como agente de corpo e, principalmente, como adoçante na indústria alimentícia em geral, destacando-se: bebidas, balas, biscoitos, chocolates, etc.

Açúcar orgânico: O diferencial é que a cana utilizada em sua fabricação é cultivada sem agrotóxicos ou qualquer fertilizante químico. Suas características nutricionais se assemelham com as do açúcar mascavo. Apresenta uma quantidade maior de vitaminas e minerais em relação ao açúcar refinado. Portanto, seus benefícios estão relacionados à ausência de aditivos químicos e preservação dos sais minerais e não aos valores calóricos. Por não ser refinado, o açúcar orgânico tem como características grãos mais grossos e cor mais escura.

Açúcar Demerara: Açúcar não refinado/leve refinamento, não recebe nenhum aditivo químico. Por isso, seus grãos são de cor castanha e têm valores nutricionais altos, além de ser recoberto com melaço enriquecendo a cor e o sabor. Também usado no preparo de bolos, café, sobremesas, etc. Possui sabor mais suave que o mascavo.

Açúcar mascavado: Pode ser encontrado na versão claro ou escuro. Ambos feitos da mistura de xarope de melaço purificado com açúcar branco, o que proporciona cor, umidade e sabor. Possui característica de um açúcar bruto, escuro e úmido, extraído depois do cozimento do caldo de cana. Como o açúcar mascavo não passa pela etapa de refinamento, ele conserva o cálcio, o ferro e os sais minerais. Tem sabor bem parecido com o do caldo de cana, o que pode desagradar a algumas pessoas acostumadas com o açúcar refinado. Já o mascavado claro possui um percentual maior de açúcar branco.

Açúcar em pó: De cor branca e textura fina, que se assemelha a de talco. Seu segredo é um refinamento sofisticado que inclui o processo de peneiragem, obtendo minicristais e a adição de amidos para impedir que crie grumos. Utilizado para glacês e cobertura, polvilhar bolos, pudins e doces, e outras preparações onde o açúcar granulado não é recomendável. 

  • Açúcar de Confeiteiro: Existe de diversas granulações. Dentre as opções de açúcar em pó é o que possui menor porcentagem de amido. Bom para ser utilizado em recheios e merengues,
  • Açúcar Impalpável: Ideal para manipulação de pasta americana.
  • Açúcar Gelado: Confeccionado para não derreter, melhor opção para polvilhar sonhos e doces de vitrine em geral.

Açúcar Baunilhado: Se trata de um mix de açúcar e fava de baunilha ou extrato, muito utilizado em recheios, cafés, pudins e para incrementar as receitas de doces.

Açúcar-Cândi: Cristais, grandes e castanhos. Dissolve lentamente na preparação.

Açúcar em cubos: Pode ser claro ou escuro. São cubos comprimidos de açúcar granulados ou naturais/não refinado. Muito utilizado para adoçar bebidas quentes, pois os cubos dissolvem-se rapidamente em liquido quentes. 

Rapadura: Rapadura, feito a partir do caldo de cana aquecido e posteriormente resfriado dando origem a uma massa solidificada, graças a grande quantidade de cristais formados, são moldada em formas de madeira.

Melado: Forma de melaço de cana um pouco mais doce e padronizada. Rico em cor e sabor. Ideal para bolos úmidos de frutas, pão de gengibre, e doces melados. Seu alto teor mineral faz dele um útil suplemento dietético.

Frutose: também conhecido como açúcar da fruta, encontra-se nas frutas, no mel e em certos legumes. Componente importante do açúcar comum. 

Açúcar de Palma: O açúcar de palma é um adoçante derivado de uma variedade de palmeiras. Os termos “açúcar de palma” e “açúcar de palma de coco” são frequentemente usados indistintamente. Cada um é originário de diferentes fontes botânicas e cada um tem uma composição química ligeiramente diferente, porém ambos são processados da mesma maneira e são semelhantes em suas aplicações.

Xarope de Agave: O xarope Agave é produzido a partir da seiva de várias espécies de agave, plantas do deserto nativo do Novo Mundo que está relacionado com a família dos cactos. Os açúcares no xarope de agave são cerca de 70% de frutose e 20% de glicose, então essa xarope tem um sabor mais doce do que a maioria.

Açúcar invertido: O açúcar invertido consiste em um xarope quimicamente produzido a partir do açúcar comum, a sacarose; um dissacarídeo formado por dois açúcares simples. Para obter o açúcar invertido é necessário aquecer a sacarose na presença de água para ocorrer a hidrólise do açúcar. É vastamente utilizado na fabricação de balas e biscoitos. A aplicação em balas previne a cristalização do açúcar, já nos biscoitos, sua função é proporcionar ao produto maciez e coloração caramelada.

Açúcar de coco:açúcar de coco é rico em nutrientes e tem um menor índice glicêmico, em comparação ao açúcar refinado.

Creme para recheio tipo Raffaello®

Receita de creme para recheio tipo Raffaello®

Ingredientes:

  • 400 ml de leite integral
  • 400 ml de leite de coco
  • 400 g de creme de leite
  • 790 g de leite condensado
  • 500 g de chocolate branco nobre
  • 180 g de açúcar refinado
  • 100 g de manteiga sem sal
  • 90 g de coco ralado úmido e doce
  • 10 g de farinha de trigo
  • 10 g de amido de milho
  • 15 g de açúcar de baunilha

Importante.: Separe 100 ml de leite integral para dissolver a farinha de trigo e o amido de milho.

Modo de preparo:

  • Misture todos os ingredientes numa panela em fogo médio, exceto a farinha de trigo e o amido de milho.
  • Deixe ferver, mexendo sempre até ferver.
  • Acrescente o amido de milho e a farinha de trigo dissolvidos nos 100 ml de leite, mexendo sem parar por 15 minutos.
  • Em seguida, retire o conteúdo da panela, coloque-o em um bowl e deixe esfriar.
  • Cubra com plástico-filme e leve à geladeira por 24 horas.
  • Utilize para rechear seu bolo.

Caldas (para regar massas de bolos)

Caldas básica (para regar massas de bolos)

Receitas de Calda básica

Rendimento: 250 ml

Validade: 15 dias em refrigeração

Ingredientes:

  • 100 g de açúcar
  • 200 ml de água
  • 5 g de essência de baunilha

 

Modo de preparo:

  • Levar o açúcar e a água ao fogo até ficar transparente.
  • Juntar a essência quando a calda estiver fria.
  • Regue o bolo utilizando uma bisnaga ou colher.

 

Calda com leite condensado

Ingredientes:

  • 50 g de leite condensado
  • 150 ml de água filtrada

Modo de preparo:

  • Misture o leite condensado com a água e utilize para umidecer o
    bolo.

Bolo de mousse de chocolate do livro Confeitaria Escalafobética

Um livro para quem ama fazer receitas doces, sobremesas de qualidade é o “Confeitaria Escalafobética, livro qual a autora, Raiza Costa, diz ser um manifesto contra a monotonia do leite condensado, Nutella e leite Ninho. Em uma era onde as pessoas buscam o simplificado, como por exemplo, receitas de, pão em 15 minutos, bolo em 10 minutos, Raiza defende que as sobremesas sejam feitas da maneira que devem ser, com a mais antiga técnica de confeitaria, a francesa, e nada de versões encurtadas.

Eu concordo muito com ela, amo o livro, as receitas são divinas, e as artes fotográficas dão um show à parte. E como uma verdadeira chocólatra, uma das minhas receitas favoritas do livro é a de mousse de chocolate, segundo Raiza Costa, este é o único bolo de chocolate que vc precisa saber fazer na vida. Segue a receita para vcs.

Bolo de mousse de chocolate (livro Confeitaria Escalafobética)

bolo esc
Bolo de mousse de chocolate, do livro Confeitaria Escalafobética, da chef Raiza Costa (Foto: Confeitaria Escalafobética)

Ingredientes:
Cobertura mousse

  • 575 g de chocolate amargo;
  • 240 ml de creme de leite;
  • 4 colheres de chá de mel;
  • 200 g de manteiga;
  • ¼ xícaras de açúcar de confeiteiro;
  • 1 pitada de sal.

Massa do Bolo

  • 200 g de manteiga + para untar;
  • 315 g de chocolate amargo;
  • 450 g de iogurte;
  • 25 g de cacau em pó;
  • 3 colheres de sopa de água fervente;
  • 300 g de açúcar;
  • 6 ovos;
  • 2 xícaras de farinha;
  • 10 g de fermento;
  • 10 g de bicarbonato de sódio;
  • 1 pitada de sal.

Modo de Preparo
Cobertura (deve ser feita primeiro!)

1. Em uma vasilha de vidro ou cerâmica, derreta o chocolate em banho-maria. Retire do fogo e reserve.
2. Em uma panela, adicione o creme de leite e o mel e, em fogo alto, cozinhe até levantar fervura. Assim que ferver, tire do fogo e misture com o chocolate derretido. Mexa com uma espátula para emulsificar e deixe esfriar em temperatura ambiente.
3. Em uma vasilha, bata com um fouet a manteiga, o açúcar de confeiteiro e o sal até ficar um creme fofo e esbranquiçado.
4. Com o creme de chocolate já frio, misture-o à manteiga batida e mexa para incorporar.
5. Deixe descansar em temperatura ambiente de 2 a 3 horas, até que a cobertura fique com uma consistência firme, porém fácil de ser espalhada.

Bolo
1. Preaqueça o forno a 180 °C. Unte as duas formas de 17 cm com manteiga e polvilhe com cacau em pó. Você também pode usar apenas uma forma de 23 cm.
2. Em uma vasilha de vidro ou cerâmica, derreta a manteiga e o chocolate em banho-maria. Retire a panela do fogo e misture com o iogurte. Reserve.
3. Em uma outra vasilha, misture o cacau em pó com 3 colheres de sopa de água fervente. Adicione na mistura de chocolate derretido e mexa.
4. Em uma terceira vasilha, bata os ovos com o açúcar até ficar um creme fofo e esbranquiçado. Adicione à mistura de chocolate e mexa.
5. Adicione a farinha, o fermento, o bicarbonato de sódio e o sal e, com uma espátula, mexa apenas até incorporar a massa.
6. Despeje a massa nas formas e asses os bolos na prateleira do meio por 35 minutos, ou até que o palito saia limpo do centro de um deles.

Montagem
1. Assim que os bolos estiverem frios, desenforme, virando-os de ponta-cabeça. Depois, vire-os de volta com a ajuda de um prato e, com uma faca de serra, corte os topos abaulados para deixa-los retos. Corte os bolos ao meio, na horizontal.
2. Coloque uma das metades do primeiro bolo em um prato de sua preferência e cubra-a com uma generosa camada de recheio. Coloque a outra metade de bolo por cima e repita o processo com o restante de bolo e cobertura.
3. Leve para congelar por 15 minutos para ficar firme.
4. Retire o bolo do congelador e, com uma espátula, espalhe o restante da cobertura no exterior do bolo.
5. Sirva em temperatura ambiente.

 

 

Pudim de leite na panela de pressão

Quer um pudim prático e rápido de fazer? Então vamos de pudim de pressão.

Receita de Pudim de leite na panela de pressão

Rende: 1 forma de pudim entre 20 e 22 cm de diâmetro

Validade: 24 horas refrigerado

Tempo de preparo: 10 minutos

Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de leite na mesma medida do leite condensado
  • 5 ovos
  • 2 1/2 xícara de Açúcar (Para calda)

Modo de preparo:

• Em um liquidificador, bata o leite condensado, o leite e os ovos. Reserve.

• Caramelize com o açúcar a forma de pudim, despeje nela o líquido processado e feche com papel alumínio.

• Disponha dentro de uma panela de pressão grande a grade de araminho (ou a vaporeira), que fará o ar cir- cular, e, sobre ela, a forma de pudim. Feche a panela e deixe cozinhar por 10 minutos, lembrando que o tem-

po de cozimento só acontece após o apito da panela.

• Desligue e esfrie sem retirar a pressão.

• Certifique-se de que esteja completamente fria a pane-

la, pois se retirar o pudim quente ele vai quebrar.

• Leve para gelar.

5 receitas juninas que não podem faltar na sua comemoração

Junho chegou, e as comemorações juninas já começaram, e vão até lá para agosto, então se liga nessas top 5 deliciosas receitas que não podem faltar na sua comemoração, seja ela junina, julina ou agostina.

1. Cuscuz de tapioca macio e perfeito

Ingredientes:

  • 1 l de leite integral
  • 1 1\2 xícara de açúcar
  • 250g de tapioca granulada
  • 100 g coco ralado (reserve um pouco para polvilhar)
  • Leite condensado a gosto para cobertura (opcional)
    Misture em um recipiente com espaço a tapioca, o açúcar e o coco ralado.

Modo de preparo:

    Ferva o leite
    Misture o leite ainda quente à tapioca, açúcar e coco.
    Mexa bem, aguarde 5 minutos.
    Mexa novamente, aguarde 5 minutos.
    Mexa novamente (Esse é o segredo para que ele misture bem tds os ingredientes e fique macio)
    Polvilhe coco por cima.
    Leve à geladeira por cerca de 2 horas, até gelar.
    Sirva com leite condensado por cima ou sem.

 

2. Maçã do amor tradicional

Ingredientes:

• 2 copos (requeijão) de açúcar cristal
• 1 ½ copo de água
• 1 colher (sopa) de pinga
• 3 colheres (sopa) de glucose de milho
• Gotas de corante vegetal vermelho (até dar a coloração
desejada)
• 15 maçãs pequenas

Modo de preparo:
• Misture todos os ingredientes
• Leve ao fogo até virar uma calda em ponto de quebrar
• Banhe as maçãs na mistura
• Espete as maçãs (limpas, uma a uma, com álcool) em
palitos
• Coloque-as em uma superfície untada com óleo (em
cima de um mármore ou assadeira)
• Reserve para servir
Obs: para saber o ponto da calda, separe um recipiente
com água e coloque um pouco de calda, o ponto de dará
quando você ouvir um barulho semelhante ao trincar de
um vidro.

3. Caldinho de mandioca

Ingredientes:

  • 1 linguiça calabresa bem picada
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho
  • 2 tomates sem sementes picados
  • 1 kg de mandioca cozida e batida com água
  • Sal (Q.B.)
  • Pimenta (Q.B.)
  • 1 folha de louro
  • Cheiro-verde (Q.B.)
  • • 1 lata de creme de leite com o soro

Modo de preparo:

• Refogue a calabresa no azeite
• Junte a cebola, o alho e os tomates
• Inclua a mandioca e os temperos
• Deixe ferver bem
• Apague o fogo e incorpore o creme de leite
• Retire e sirva

4. Canjica

Ingredientes:

• 500 g de milho para canjica
• 2 l de água
• 2 l de leite
• 1 lata de leite condensado
• 2 xícaras (chá) de açúcar
• 1 colher (café) de sal
• 1 ¼ xícara (chá) de coco ralado
• 2 xícaras (chá) de amendoim torrado e moído (opcional)

• canela à gosto

Modo de preparo:
• Deixe o milho de molho por aproximadamente 24
horas
• Leve para cozinhar por aproximadamente 1 hora
• Junte todos os ingredientes e cozinhe para incorporar.
• Salpique canela. Sirva quente ou frio

5. Bolo de mandioca com coco

Ingredientes:

• 1 kg de mandioca
• 3 xícaras (chá) de açúcar refinado
• 1 xícara (chá) de leite
• 3 ovos
• 1 vidro de leite de coco (aproximadamente 200 ml)
• 100 g de manteiga
• 100 g de coco ralado
• 1 pitada de sal

Modo de preparo:
• Descasque o aipim
• Lave-o sob água corrente e rale, usando um ralador
grosso
• No liquidificador, coloque o aipim, o leite, os ovos, o
leite de coco e a manteiga
• Bata tudo em velocidade média por aproximadamente
1 minuto
• Acrescente o açúcar, o coco ralado e o sal
• Bata mais um pouco
• Despeje o creme em uma forma média e leve a massa
para assar no forno médio por aproximadamente 35
minutos ou faça o teste do palito (espete a massa até
que o palito saia limpo)
• Retire e sirva

Pão de queijo

Friozinho chegando… nada com um pãozinho de queijo para acompanhar o café, não é vdd?

Essa é uma receita brasileira, típica de Minas. Um dos lanches preferidos no país e, por conta da sua popularidade, podemos encontrar uma série de variações da receita.

Então hj vou compartilhar três receitas deliciosas de pão de queijo com vcs. As duas primeiras são do tradicional pão de queijo mineiro assado, já a terceira receita é de pão de queijo frito. :O

Pão de queijo tradicional curado

  • 500g de polvilho doce
  • 200 ml de leite integral
  • 200 ml de água
  • 175 ml de óleo vegetal
  • 3 ovos
  • 500 g de queijo meia cura (Queijo minas padrão)
  • 10 g de sal

Modo de preparo:

  • Ralar  o queijo meia cura. Reservar.
  • Ferver juntos o óleo, o leite e a água. Deixar esfriar.
  • Misturar o sal no polvilho doce.
  • Colocar sobre o polvilho os líquidos fervidos.
  • Mexer vigorosamente até ficar uma massa homogênea. Deixar esfriar.
  • Incorporar os ovos um a um.
  • Juntar o queijo ralado à mistura até que fique homogêneo.
  • Modelar.
  • Colocar  em tabuleiro e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC.
  •  Assar até que esteja levemente dourado.

Pão de queijo mineiro

Rende aproximadamente: 20 unidades.
Ingredientes:

  • 1 kg de polvilho azedo
  • 250 ml de leite
  • 150 ml de óleo de milho
  • 1 colher (sopa) de sal
  • 4 ovos
  • Água até dar o ponto
  • 300 g de queijo meia cura (queijo minas padrão) ralado
  • 100 g de parmesão ralado

Modo de preparo:

  • Em uma vasilha grande, colocar o polvilho
  • Levar ao fogo para ferver o leite, o óleo e o sal
  •  Retirar do fogo e escaldar o polvilho com essa mistura fervente
  •  Mexer bem, juntar os ovos
  •  Adicionar água até dar o ponto de enrolar
  •  Por último juntar os queijos e mexer bem
  •  Passar óleo nas mãos e fazer bolinhas
  •  Levar para assar em forno a 250 graus até dourar
  •  Retirar do forno e servir

Pão de queijo frito

Rende aproximadamente: 25 unidades.

Ingredientes:

• 400 g de queijo meia-cura gelado e ralado
• 120 g de ovos
• Sal (Q.B.)
• 15 g de fermento em pó
• 240 g de polvilho doce
• 1 l de óleo – fritar

Modo de preparo:

• Misture todos os ingredientes, menos o óleo
• Sove bem
• Modele pequenas bolas
• Frite em óleo quente até dourar
• Sirva

Espero que teste, prove e coma muitos ;P

 

 

 

 

Brigadeiro afrodisíaco de chocolate com pimenta

Denomina-se afrodisíaco a qualquer substância no qual se atribuem propriedades estimulantes sexuais. O nome deriva da deusa grega Afrodite, divindade relacionada ao amor em seus diversos aspectos.

afro

Dia dos namorados chegando… claro que então eu trouxe uma sugestão de docinho especial para a data.

Brigadeiro afrodisíaco de chocolate com pimenta

img_7384
@thalitabb

Ingredientes:
395 g de leite condensado
20 g de manteiga
20 g de chocolate em pó 50% cacau
50 g de chocolate meio amargo
1 pimenta dedo-de-moça sem
sementes
Chocolate granulado a gosto

Modo de preparo
• Retirar as sementes da pimenta dedo-de-moça e cortar em pequenos cubinhos. Reservar.
• Colocar os ingredientes (menos a pimenta) em uma panela e misturar até conseguir um resultado homogêneo.
• Levar a panela ao fogo baixo e mexer sem parar.
• Acrescentar a pimenta assim que o brigadeiro começar
a soltar da panela.
• Retirar e dispor o doce em um prato.
• Esperar o doce atingir a temperatura ambiente.
• Bolear os brigadeiros, e passar nos confeitos a gosto.

 

Façam e me conte o que achou 😉

Torta alemã com avelã

Ao que tudo indica a torta alemã não tem origem européia, muito pelo contrário. Esse doce que reúne chocolate, creme de manteiga com nata e biscoito maisena, nasceu aqui mesmo no Brasil. Reza a lenda que foi pelas mãos de uma alemã com saudades da sua terra natal.

Mas, vamos acrescentar uma crocância com avelãs?

Receita de Torta alemã com avelã

Foto @thalitabb

Ingredientes da massa:

  • 200 g Manteiga sem sal (temperatura ambiente)
  • 2 latas de creme de leite (gelados sem soro)
  • 200 g de açúcar
  • 3 gemas
  • 100 g de avelã
  • 1 e meio de biscoito de maisena

Modo de preparo da massa:

  • Torre e quebre as avelãs, e reserve.
  • Após deixar as latas de creme de leite gelando por no mínimo 3 hrs na geladeira (não pode congelar), separar a nata do soro. Reservar.
  • Bata a manteiga e o açúcar por cerca de 5 min, até esbranquiçar.
  • Acrescente as gemas, uma a uma, até que fique homogêneo.
  • Desligue a batedeira e acrescente levemente o creme de leite (SEM O SORO) e mexa com delicadeza com auxilio de uma colher até incorporar os ingredientes.

Cobertura de ganache

Ingredientes da cobertura:

  • 100 g de chocolate meio amargo
  • 100 ml de creme de leite

Modo de preparo da ganache:

  • Pique o chocolate e derreta-o.

  • Misture o chocolate com o creme de leite com um batedor  até formar um creme de chocolate liso e brilhante.
  • Utilize o creme para cobrir a torta.

Montagem:

  • Em uma forma própria para torta , espalhe uma camada de biscoito levemente umedecidos pelo soro do creme de leite.
  • Com uma colher espalhe uma camada do creme com cerca de 3 mm de espessura, salpique pedaços de avelã.
  • Repita este processo por três vezes, terminando com creme na última cama.
  • Alise bem e leve para o congelador.
  • 2 horas depois, espalhe a ganache sobre a torta de modo que escorra pelas laterais,(cuidado para não utilizar a ganache muito quente, pois pode derreter sua torta).
  • Decore com avelãs por cima e sirva gelada.

 

Quem resiste a essas camadinhas?

 

História e origem do café

O café é uma planta de origem africana, pelas regiões da Etiópia e Sudão do Sul. Foi descoberto há, pelo menos, mil anos. Inicialmente, a sua forma de consumo era bem diferente das formas atuais, havia o consumo do chá da folha e também o consumo direto da cereja do café, que era mantida em gordura animal para conserva e assim era consumido ao longo do ano, porém já era utilizado por suas propriedades revigorantes.

Somente no século 16, os árabes começaram a torrar e a moer os grãos para criar um café parecido com o que temos hoje.

Chegada do café à América do Sul:

O primeiro lugar da América do Sul onde o café chegou foi na Guiana Francesa. Já ao Brasil por volta de 1727, quando os portugueses enviaram um oficial da Marinha do Brasil para a Guiana Francesa a fim de obter sementes de café. Segundo a lenda, como este não obteve sucesso em sua missão, ele resolveu seduzir a esposa do governador local para que ela lhe desse as mudas, (esse sim era louco por café).

Essas primeiras mudas foram plantadas no Pará.

Atualmente o Brasil é o maior produtor e consumidor mundial de café, apesar de sua participação na produção mundial ter caído de 80%, em 1920, para 35% atualmente. O estado de Minas Gerais é o principal produtor do País, responsável por metade do café nacional – equivalente à produção do Vietnã, segundo produtor mundial.
A produção nacional de café está dividida da seguinte forma:

  • Minas Gerais – 54%
  • Espírito Santo – 20%
  • São Paulo – 10%
  • Bahia – 7,5%
  • Rondônia – 4,5%
  • Paraná – 2,5%

MINAS GERAIS: é o maior estado produtor de café no Brasil, respondendo
por cerca de 50% da produção nacional, sendo uma das principais fontes de cafés especiais do País. Praticamente 100% das plantações são de café Arábica, cultivado
em quatro regiões produtoras: Sul de Minas, Cerrado de Minas, Chapada de Minas e Matas de Minas.
ESPÍRITO SANTO: é o segundo maior estado produtor de café no País e o principal produtor de Conilon (Robusta). Há plantações de café Conilon nas áreas mais quentes,
ao Norte, região chamada de Conilon Capixaba, e de Arábica, ao Sul, região conhecida como Montanhas do Espírito Santo.
SÃO PAULO: é um dos estados mais tradicionais no cultivo de café. Sua produção é exclusivamente de Arábica, distribuída em duas regiões: Mogiana e Centro-Oeste Paulista, que alternam fazendas com pequenas propriedades e produção
de cafés especiais em áreas específicas.
BAHIA: são duas as regiões produtoras de café no estado: Planalto da Bahia e Cerrado da Bahia, onde se cultiva Arábica. Ao Sul do estado, também há áreas onde se produz café Conilon.
RONDÔNIA: o estado produz exclusivamente café Conilon. A cafeicultura é tradicional e familiar, com pequenas propriedades.

 

PARANÁ: é o estado produtor de café localizado mais ao Sul do País. Apenas café Arábica é cultivado em plantações adensadas, que usam variedades adequadas ao clima mais frio da região. Outrora o maior estado produtor do País vem recuperando
sua produção com forte ênfase no cereja descascado.

fonte: usada, junho de 2017.

Brigadeiro de chocolate ao leite

A origem do nome “brigadeiro” está ligada à campanha política presidencial do Brigadeiro Eduardo Gomes, candidato à Presidência da República em 1946.

Brigadeiro Eduardo Gomes

Havia um grupo de mulheres do bairro do Pacaembú, em São Paulo, que eram engajadas na campanha do candidato organizaram festas para promover sua candidatura. O doce teria sido criado por essas mulheres durante a primeira campanha do candidato à presidência, pela União Democrática Nacional, logo após a queda de Getúlio Vargas.

A guloseima, feita de leite condensado, manteiga, açúcar e chocolate em pó, inicialmente feita como uma forma de arrecadar fundos para a campanha, rapidamente ganhou popularidade e se espalhou pelo resto do país junto da campanha do Brigadeiro. Como as festas dos correligionários e cabos eleitorais eram muito disputadas pela população, estes logo começaram a chamar os amigos para irem comer o “docinho do brigadeiro”. Com o tempo, o nome “brigadeiro” se tornou tão associado ao doce que o mesmo passou a ser conhecido apenas como “brigadeiro”. Apesar do apoio recebido, Eduardo Gomes foi derrotado nas eleições, tendo a sido vencida pelo então general Eurico Gaspar Dutra.

Brigadeiro de chocolate tradicional

Ingredientes:

  • 395 g de leite condensado
  • 200 g de creme de leite de caixinha
  • 150 g de chocolate picado
  • 8 g de manteiga
  • Confeitos ou raspas – para finalização

Modo de preparo:

• Misture todos os ingredientes antes de levar ao fogo.

• Leve a panela ao fogo baixo e mexa para não queimar

• Quando começar a borbulhar, mexa rapidamente até atingir o ponto ideal, que é quando a massa ficar brilhante e desgrudar do fundo da panela, e aí inclinar a panela, o brigadeiro faz o movimento de “cambalhota” como uma onda.

• Desligue o fogo e coloque o brigadeiro em um recipiente coberto com plástico-filme diretamente. E deixe esfriar em temperatura ambiente.

• Depois de frio, faça bolinhas de 18 g e passe no confeito de sua preferência, mas lembre-se a escolha de um confeito de boa qualidade é imprescíndivel.

Brigadeiro Charming Cake

Validade: 5 dias sob refrigeração em embalagem vedada e 60 dias no freezer.

Suspiro colorido – Merengue suíço

 

Esse suspiro é ideal para festas coloridas, como neon, unicórnio e arco-íris.

cakes on table
Foto por Silvia Trigo em Pexels.com

Suspiro coloridoMerengue suíço

Ingredientes:

• 125 g de claras

• 250 g de açúcar refinado

• 100 g de açúcar de confeiteiro

Preparo:

• Leve as claras e o açúcar refinado ao banho-maria e mexa até que todo açúcar tenha se dissolvido. Cuidado para não coagular a clara, a temperatura não deve passar de 60°C

• Despeje essa mistura no bowl da batedeira e bata com o globo até esfriar.

• Adicione o açúcar de confeiteiro peneirado e bata por mais 2 minutos.

• Separe em 3 partes para colorir individualmente. Eu colori com azul, rosa e verde.

• Abra o plástico filme, coloque os merengues colorido na horizontal, e feche o plástico filme, formando uma bisnaga.

• Coloque a bisnaga em uma manga de confeitar com bico da sua preferência (eu usei perlê) e pingue o merengue em assadeira forrada com papel manteiga.

• Leve ao forno baixo (80 °C) por duas horas.

img_6934-1

Click aqui para ver o passo a passo.

Vestidos Ruffle

Hoje vamos falar de um modelo de vestido lindo, super feminino e romântico, o vestido ruffle.

Se você é mais do tipo clássico ou minimalista de mulher, procure por peças com pequenos detalhes de babados na frente, terminações de babados ou pequenos acessórios de babados. Se você está se sentindo mais ousada, use babados sem medo e procure roupas chiques com babados grandes.

Vestido Zaful

Podemos encontrar vestidos ruffle tanto em modelos casuais para o dia a dia, quanto em peças mais sofisticadas.

Modelos para te favorecer:

Para alongar:

Quando os detalhes da peça são aplicados na vertical criam linhas alongadas no tronco, chamando atenção para o centro do corpo, o que dá a sensação de silhueta mais fina.

Você também pode contar com as peças de babados miúdos. A roupa deve ser soltinha e o babado, estreito.

 

Vestido Zaful
Vestido Zaful

 

Para Disfarçar:

Seios grandes:

O ideal é utilizar decote profundo, como por exemplo o V, e babado em camada única. Ele pode acompanhar o decote e ser feito de tecido mole.

Vestido Zaful

Pernas grossas:

Quando os detalhes do vestido ruffle estiverem na parte de baixo, é ideal que sejam pequenos e de cores escuras. Você pode combinar uma meia-calça escura com a peça para dar a ilusão de pernas mais alongadas, se o vestido for feito de tecido leve, melhor ainda.

Quadril largo:

Vestido de corte reto com babado pequeno na barra, é o ideal para este caso, para afinar o tronco, você ainda pode sobrepor um blazer com listras verticais que termine no quadril.

Braço larguinho:

Opte por babados na região do seio, assim vc estará desviando o foco da produção. Uma outra opção é utilizar blusa com manga comprida e solta com babado no punho.

Zaful

Disfarçar ombro largo:

É bom que se evite linhas horizontais nesta região. Então, aposte em decote em V ou transpassado com babado que se forme na vertical.

Vestido Zaful

 

 

O importante é vc encontrar um modelo que se adeque mais ao seu gosto, tipo e personalidade.

Vestido Zaful

 

Para encontrar diversidade, modelos maravilindos, e bom preço eu sugiro que vc conheça os modelos de vestidos ruffle da loja Zaful.

Conheça todas as outras peças da loja aqui.

Para mais dicas de moda e afins indico o blog da Jéssica.

Beijos e arrasa no Dress Ruffle 👗

 

Vestidos de crochê

Sabe aquela fama de que só quem usa crochê são as vovozinhas? Pois é já passou faz tempo…

Hoje as peças de crochê são as “queridinhas” de muitas fashionistas e também das mulheres de todos os que estilos que não deixam o bom gosto de lado.

Os vestidos de crochê  vêm ganhando espaço cada vez maior nos armários femininos por possui um charme único, então hoje venho dar dicas de como usar e abusar destes que possuem desde estilos mais elegantes aos mais casuais, em diversas opções de cores, e para todas as ocasiões.

Veremos, então, alguns modeloscomo onde usar.

Vestidos de crochê na praia:

Para a praia o mais indicado são os curtos e leves, assim vc aproveita o clima quente e  continua charmosa, veja alguns modelos.

Vestido de crochê beach Zaful
Vestido pra saída de praia Zaful
Vestido saída de praia translúcido Zaful

Vestido saída de praia com pompons Zaful

Vestido crochê ZafulVestido de crochê Zaful

Em fevereiro deste ano, a cantora Anitta, usou um vestido de crochê desfiado com granjinhas para a gravação do clipe de “Bola, Rebola”, em Salvador,  com uma pegada bem praiana e ficou divino.

 

Vestidos de crochê curtos:

Aqui veremos dois tipos de utilizações do vestido de crochê curto, primeiro modelos mais casuais, ideais para o dia-dia, que combinam perfeitamente com rasteirinhas, Veja alguns modelos:

Vestido coloridos de crochê

 

Vestido curto de crochê Zaful
img_6636
Vestido de crochê Zaful

 

Em contra partida é possível com alguns modelos montar um look mais sofisticado, principalmente com modelos de manga longa ou quando combinado com saltos. Veja alguns modelos:

Vestido Zaful
Vestido De Crochê Sem Costas Zaful

Vestidos de crochê midi e longos:

Ideais para uma ocasiões mais especiais, onde há maior necessidade de parecer “arrumada”, como festas e eventos, os vestido de crochê midi e longos são elegantes. Mas também pode ser usado com uma rasteirinha para um passeio ao ar livre ou um encontro de amigos em barzinho à noite.

Vestido midi Zaful
Vestido midi Zaful

 

Vestido colorido crochê
img_6643
Eu utilizei vestido de crochê longo com rasteirinha, para deixar o look mais casual.

 

Vestidos de crochê para noivas: 

Curto, midi ou longo, o vestido de crochê é uma ótima opção para noivas que buscam um visual mais leve e menos tradicional. É um modelo perfeito para casamentos realizados de dia e ao ar livre, mesclando sensualidade e romantismo. Afinal nem toda noiva sonha em se casar com o clássico branco, com renda ou metros de tule na frente de uma plateia de centenas de pessoas. Muitas querem se casar sem o drama e junto com o sonho do casamento livre de problemas vem o vestido livre de problemas, que permite que você aproveite verdadeiramente o dia. Os vestidos de casamento modernos estão se tornando um investimento vitalício, e não um gasto único. A Vogue selecionou opções alinhadas com as melhores tendências das passarelas de 2019, e o vestido de crochê para noivas está entre as 7 tendências de vestidos para noivas modernas. Veja algumas inspirações:

Leve e confortável para dizer “sim”
Ideal para casamentos de dia. Foto David Asumah
Leve e confortável para dizer “sim”
img_6644
Vestido de renda, maga longa Zaful

Agora que vc já sabe qual modelo de crochê combina mais com vc seja qual for a sua necessidade, é só clicar no link da loja Zaful , escolher o seu modelo de vestido de crochê, e arrasar é claro 😉

Recomendo também que vc conheça o blog da Jéssica Novaes, lá tem muitas dicas de moda para o dia-dia de maneira descomplicada.